Cookies: O nosso site utiliza cookies. Ao continuar a navegar no site está a concordar com a Política de Cookies. Saiba mais aqui. Continuar
Fechar
A campanha mudou, mas o seu Saco de Pedidos não sofreu alterações.
Por mudar de campanha, o seu Saco de Pedidos foi atualizado.

É o Mês Internacional de Prevenção Contra o Cancro da Mama: É Tempo de Fazer Tempo

Tempo: o problema da nossa era. Parece que as nossas vidas são tão ocupadas que nunca temos o suficiente para fazer tudo o que é suposto para aproveitar o momento de simplesmente estar, não fazer.

 

De todas as pessoas, as mulheres são quem tem menos tempo, porque no cenário mais simples e comum, têm um emprego, uma casa e uma família para cuidar e a última coisa na sua lista de prioridades é elas próprias. Nunca ninguém conheceu uma mãe que se põe em primeiro lugar; isso não é coisa de mãe. E a decisão de ter algum tempo para si mesma ou simplesmente algum tempo para algo que não os outros, mesmo quando está relacionado com saúde ou bem-estar, está sempre acompanhado por outro importante sentimento: culpa.

Mas pare por um minuto (eu prometo que não demoro muito, visto que não tem tempo a perder) e pense

  • Quanto tempo passa todos os dias nas redes sociais?
  • Investe tempo a fazer algumas compras online ou a ver televisão?
  • Quanto tempo demora a maquilhar-se?
  • Quantas mulheres fazem um autoexame da mama mensalmente? Nós temos a resposta para esta pergunta e é alarmante, Apenas 44%* das mulheres o fazem. Sendo a razão mais comum nem sequer pensar nisso.

As causas – ou melhor, as desculpas – são várias. Se não considerarmos que a resposta mais comum é “Eu não tenho tempo”, a primeira é com toda a certeza desinformação: muitas mulheres não estão familiarizadas com os riscos e sintomas do cancro da mama e, consequentemente, não consideram fazer autoexames regulares uma prioridade. Outras não sabem como ter acesso a um exame médico e a preguiça vence, portanto acabam por não descobrir. Algumas até estão preocupadas que terão repercussões no trabalho se pedirem por tempo para verificar a sua saúde, desconhecendo que esse é um direito seu por lei.

A segunda causa mais comum para exames perdidos ou adiados é o medo. O medo consome-a e convence-a que se não enfrentar o problema, então o mesmo não existe. A palavra cancro assusta-a porque o cancro é assustador. Pensa que um diagnóstico vai mudar a sua vida porque vai. Mas a única coisa que a pode salvar é saber.

Outra – mas não a última – é o problema da possibilidade. A possibilidade de fazer exames sempre que lhe apetece fazer um, a oportunidade de ser examinada apenas de vez em quando, quando há tempo, quando é realmente necessário, esse é outro obstáculo a combater. Porque os exames não são uma possibilidade, mas sim uma obrigação para a sua saúde.

Talvez pense que não pertence à maioria das mulheres que acabei de descrever. Portanto aqui estão alguns mitos comuns sobre o cancro da mama, vamos desmitificá-los:

 

1. O cancro da mama é maioritariamente hereditário

FALSO. As pessoas com um histórico de cancro da mama na sua família têm uma maior probabilidade de herdar o gene defeituoso, mas a probabilidade de serem diagnosticadas com o cancro da mama são pequenas.

 

2. O cancro da mama é sempre assinalado por sintomas claros como dores e caroços

FALSO. Mais ou menos dor não é um indicador de mais ou menos agressividade do cancro, não existe uma correlação direta entre os dois, e o cancro da mama nem sempre é visível com a formação de caroços. No geral, se notar algo estranho com o seu peito vá fazer um exame, pois se não o fizer, não exclui a possibilidade.

 

3. Soutiens e desodorizantes podem causar cancro da mama

FALSO, Não existem evidências de uma correlação entre utilizar soutiens e o cancro da mama. O mesmo acontece com os desodorizantes, pois esta é uma crença frequente e errada.

 

4. É mais provável ter cancro da mama se o peito for maior.

FALSO. Pode ser diagnosticada com cancro da mama independentemente do seu tamanho, portanto seja cuidadosa.

 

5. O stress pode causar cancro da mama

FALSO. O stress por si só não tem uma correlação com o diagnóstico do cancro da mama. Contudo, comportamentos relacionados com o stress como vícios, hábitos alimentares não saudáveis e ingestão de álcool pode ter consequências severas na sua saúde, ao ponto de causar cancro.

 

Nenhum mito devia intervir na sua vida. E nenhum plano deve ser mais importante do que um exame que o pode salvar. Faça uma pausa para realizar um exame e encoraje a sua família e amigos a fazerem o mesmo!

Nos últimos 27 anos, a AVON e a AVON Foundation for Woman estão comprometidas para com a saúde de todas as mulheres, elas afirmam e defendem que tirar algum tempo para cuidar de nós mesmas é um direito. É uma promessa que as mulheres podem fazer a si mesmas. Medicina preventiva é um direito. Examinar o seu peito pode salvar a sua vida.

É tempo de fazer tempo, portanto faça-o agora.

*Baseado num questionário realizado com 1,000 mulheres no Reino Unido comissionado pela AVON, agosto 2019.

 

Partilhar com os meus Amigos

Outros Conselhos

{{::article.Title}}
{{::article.Title}}

{{UI.LoadingMessage}}
[View|Representative_Attach_Not_Available]